• O Canal da Lili

Pfizer reforça campanha pela mamografia no SUS a partir dos 40 anos

A Pfizer lançou no Brasil a campanha de mobilização social Mamografia no SUS a partir dos 40 anos, que visa engajar toda a sociedade para defender o direito das mulheres à realização da mamografia de forma preventiva e mais cedo no SUS (Sistema Único de Saúde), a partir dos 40 anos, diferentemente do critério atual de 50 anos. Sociedades médicas nacionais e internacionais recomendam o exame a partir dos 40 anos como a forma mais eficiente para a detecção precoce do câncer de mama, aumentando assim, a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com taxas de sucesso mais satisfatórias.


Pfizer promove a Campanha Mamografia no SUS a partir dos 40 anos - Imagem: Divulgação

O Dia Nacional da Mamografia, celebrado em 5 de fevereiro, reforça a importância do tema. A campanha é a primeira no Brasil baseada na plataforma global da Pfizer Unidos pela Cura (Ready for Cures), que tem como missão promover um ambiente de políticas públicas que incentive a detecção precoce e a inovação em saúde.


Gargalos do sistema

Segundo a Lei nº 11.664/2008, a mamografia é um direito das mulheres no SUS dos 40 aos 69 anos. No entanto, a portaria nº 61/2015 do Ministério da Saúde contraria essa lei proposta e restringe, na prática, o exame preventivo para mulheres dos 50 aos 69 anos, apesar de 40% das pacientes brasileiras serem diagnosticadas antes dos 50 anos, portanto, uma proporção significativa da população afetada desenvolve câncer de mama antes da faixa etária de triagem atendida pelo SUS.


Mas agora, o projeto de decreto legislativo nº 679/2019, que anula os efeitos da portaria no 61/2015 e assegura o direito à realização da mamografia preventiva a partir dos 40 anos ou mais, já foi aprovado no Senado e está em tramitação na Câmara dos Deputados.


Por meio da campanha Mamografia no SUS a partir dos 40 anos, a Pfizer quer informar a sociedade sobre essa questão e incentivar que os brasileiros entrem na plataforma Unidos pela Cura (www.pfizer.com.br/unidos-pela-cura) para enviar mensagens aos deputados federais e senadores, manifestando apoio à causa e aprovação do projeto de decreto legislativo.


"Estamos confiantes de que podemos, juntamente com a sociedade, mostrar aos nossos congressistas que é hora de apoiar a Ciência, buscando acesso ao diagnóstico precoce para as mulheres brasileiras com mais de 40 anos. A iniciativa busca também empoderar a população e reforçar a voz dos cidadãos junto aos representantes legislativos", destaca Cristiane Santos Blanch, diretora de Comunicação e Assuntos Corporativos da Pfizer Brasil.


Para o oncologista clínico Gilberto Amorim, especialista em câncer de mama, esse é um tema importante, pois a taxa de mortalidade por câncer de mama no Brasil está aumentando, enquanto em outros países a queda é significativa. "A idade média do diagnóstico de câncer de mama no País é de 53 anos, sendo que 40% dos casos têm menos de 50 anos, ou seja, uma parcela significativa de mulheres está fora da recomendação do Ministério da Saúde", diz o médico Gilberto Amorim. "Se negarmos o rastreamento a essas mulheres jovens, podemos comprometer o diagnóstico precoce de milhares de brasileiras. É hora de mudar esse cenário", completa.


A médica radiologista Linei Urban, especialista em imagem mamária e uma das coordenadoras da Comissão de Mamografia do CBR (Colégio Brasileiro de Radiologia), lembra que o rastreamento mamográfico está associado à redução da mortalidade pelo câncer de mama. "Dados e estudos científicos consolidados demonstram que a realização do exame anual reduz a mortalidade decorrente da doença entre 18% e 32%, sendo recomendada para mulheres acima de 40 anos", explica Dra. Linei Urban.


O tempo que importa é agora

Além do aspecto de mobilização, a campanha é apoiada por um esforço de mídia paga em plataformas sociais, como Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter. Com o slogan O tempo que importa é agora, a campanha Mamografia no SUS a partir dos 40 anos é realizada no ambiente digital, com presença nos canais oficiais da Pfizer no Brasil, e terá continuidade nos próximos meses. As peças trazem o conceito da passagem do tempo, que é sensível para a mulher e muitas vezes vista de forma negativa pela sociedade. Mas, neste caso, a campanha reverte esse olhar, chamando a atenção para o fato de a mulher estar numa fase da vida em que ainda tem muito para viver e, agora, é a hora de se cuidar e se prevenir.


Já a logomarca, traz uma imagem que simboliza o seio feminino e a mamografia. O texto "Mamografia a partir dos 40" é um sorriso e as formas desenhadas em rosa também podem sugerir um olho atento. "Esse é um assunto muito relevante, tanto que na nossa associação muitas voluntárias tiveram o diagnóstico do câncer de mama antes dos 50 anos, inclusive eu aos 30, minha mãe com 44 e minha tia com 40 anos", Joana Jeker, presidente da Recomeçar Associação de Mulheres Mastectomizadas de Brasília.


Panorama da doença

Em todo o mundo, o câncer de mama é o mais incidente entre as mulheres e, no Brasil, é responsável por quase um terço de todos os diagnósticos de tumores malignos entre a população feminina, correspondendo a 29,7% da estimativa de cânceres de localização primária nas mulheres, exceto câncer de pele não melanoma.


Segundo o Instituto Nacional de Câncer, a estimativa de novos casos de câncer de mama no Brasil é de 66.280 para o triênio 2020-2022. Apesar da prevenção reduzir as chances de desenvolvimento do câncer de mama, nem sempre a sua ocorrência é completamente evitável. Por isso, a combinação de prevenção e detecção precoce é fundamental para melhorar as chances de cura do câncer de mama e reduzir o risco de desenvolver metástase.

Posts em destaque
Postagens Recentes
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon

© 2017 by Eliana Teixeira. Proudly created with Wix.com