Alunos da rede pública tocam ritmos populares com músicos profissionais

A banda Cabral e os Colonizadores por Engano leva ritmos brasileiros para as salas de aula de escolas estaduais de Piracicaba, durante oficinas gratuitas de música. O primeiro encontro aconteceu na Escola Estadual Professor Doutor João Chiarini, na Vila Fátima, nesta terça-feira, 28. A próxima oficina será na Escola Estadual Professor Attilio Vidal Lafrata, no bairro Costa Rica, nesta quarta-feira, 29, a partir das 13h20. A iniciativa, que ocorre durante o mês de novembro com estudantes dos ensinos fundamental e médio, integra o projeto O Palhaço, contemplado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Prefeitura de Piracicaba e Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo (SemacTur).


Oficina realizada na Escola Estadual Morais Barros


Durante as oficinas Ritmos Brasileiros, os músicos abordam os gêneros musicais populares em diferentes regiões do Brasil e os alunos terão a oportunidade de tocar instrumentos típicos de cada estilo com os integrantes da banda, como pandeiro, triângulo, ganzá, agogô, surdo e reco-reco. Outras duas oficinas foram realizadas com alunos das escolas estaduais Sud Mennucci e Morais Barros, na região central de Piracicaba. O aluno do segundo ano do ensino médio, Pedro Henrique Paz Choalini, 16, gostou muito da experiência. Ele tocou triângulo e agogô. “Foi muito legal, uma aula bem diferente”, afirmou.

Lorena Sertori, de 11 anos, também participou dos encontros com os músicos. Apesar de ter o rock como gênero preferido, a estudante do quinto ano do ensino fundamental, na Escola Morais Barros, disse que gostou de conhecer melhor os ritmos brasileiros. “Sou fã de Gun´s Roses e Nirvana, mas foi divertido tocar os instrumentos do samba e baião”, destacou.


Oficina realizada na Escola Estadual Sud Mennucci


O estudante Matheus Henrique Barbosa de Oliveira, 16, foi um dos participantes das oficinas de música na Escola Sud Mennucci. Ele e o amigo de escola Guilherme Willian Tonietti, 18, tocaram pandeiro, tambor e surdo. “Temos aulas de artes no currículo de disciplinas eletivas, mas nunca pudemos tocar os instrumentos musicais como fizemos com a banda, foi uma atividade bem diferenciada”, salientou.

A professora de artes da Sud Mennucci, Andrea Paula Frias, ressaltou a importância de atividades como as que banda Cabral e os Colonizadores por Engano realiza. “A capoeira, o samba e outros gêneros integram currículo pedagógico, mas a interação com o instrumentista faz toda a diferença”, completou.

O objetivo das oficinas é expandir o conhecimento cultural dos jovens estudantes e promover o acesso à musicalidade brasileira. “Abordaremos ritmos populares como o Samba, Partido Alto, Baião e Xote de maneira didática e divertida, contando sempre com a participação dos alunos presentes nas apresentações”, afirma o músico Renan Almeida, proponente do projeto.



Renan Almeida é o proponente do projeto O Palhaço


PROJETO – Um dos contemplados pelo último edital do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Prefeitura e SemacTur, o projeto O Palhaço reúne a gravação de um álbum homônimo, que terá sete canções inéditas produzidas pelo grupo Cabral e os Colonizadores por Engano, além dos processos de mixagem e masterização. O projeto prevê ainda um show de lançamento do álbum e gravação do videoclipe de uma das composições presentes no material fonográfico.


FOTOS: Claudia Assencio

Posts em destaque
Postagens Recentes
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon

© 2017 by Eliana Teixeira. Proudly created with Wix.com